5 lugares Patrimônio Mundial da UNESCO no Canadá que você não pode deixar de conhecer

Atualizado: Jul 9

A UNESCO segue a Convenção para a Proteção do Patrimônio Mundial Cultural e Natural instituída em 1972 e que reconhece alguns lugares ao redor do planeta que possuem um valor universal excepcional, ou seja, devem fazer parte do patrimônio comum da humanidade.


Uma das vantagens de se estudar Turismo é que você acaba conhecendo mais a fundo a história e as razões pelas quais os destinos se tornam tão importantes. O Canadá preserva seus sítios culturais, naturais e arqueológicos e possui um dos patrimônios mais renomados do mundo. Atualmente, 20 locais do Patrimônio Mundial da UNESCO no Canadá estão listados, dos quais nove são culturais, dez naturais e um misto. Por isso resolvi listar aqui cinco destes locais que estudei na Universidade e que já estão na minha lista de visitas.



Old Town Lunenburg

Data de inscrição: 1995, cultural


Localizada na costa sul da Nova Escócia, a uma hora de Halifax, Lunenburg é uma das duas cidades da América do Norte designadas como Patrimônio Mundial da UNESCO por vários motivos, mas principalmente porque manteve seu projeto original. Esta designação garante que a arquitetura única de Lunenburg seja protegida, sendo um dos melhores exemplos de colônias britânicas na América do Norte [1]. As ruas estão dispostas de forma retangular e organizada, mas o desenho da cidade também incorporou áreas públicas centralizadas e importantes edifícios comunitários, que ainda hoje estão em uso.


A cidade portuária foi fundada em 1753 em homenagem ao rei George II da Grã-Bretanha e da Irlanda, dono do Ducado de Brunswick-Luneburg (cidade de Lunenburg, 2021). Mesmo depois de tanto tempo, ainda é possível avistar os altos barcos atracados no antigo porto, cenário que contribui ainda mais para a bela vista dos casaris históricos, muito bem preservados, pintados em cores vivas que dão um charme e beleza únicos ao local.


A cidade de Lunenburg fica há pouco mais de uma hora de Halifax e foi o primeiro local que visitamos. Para os brasileiros em Halifax, vale muito à pena uma visita a esta cidadezinha de casas coloridas e uma tranquilidade típica de interior.


The Landscape of Grand Pré

Data de inscrição: 2012, cultural


O Landscape of Grand Pré é um parque costeiro localizado na Nova Scotia, mais precisamente no Bay of Fundy's Minas Basin, no Annapolis Valley. Com vastas terras agrícolas irrigadas por diques, o parque foi criado em 1682 pelos Acadians que viviam em harmonia com o povo nativo Mi'Kmaq antes da expulsão que começou em 1755.


A área é um Patrimônio Mundial da UNESCO, reconhecida principalmente pelo local que simboliza a adaptação excepcional dos primeiros colonos europeus às condições da costa atlântica norte-americana. É também um exemplo da harmonia entre os dois povos e do desenvolvimento da agricultura familiar por meio de diques e eclusas de madeira de aboiteau, criadas inicialmente pelos Acadians no século 17 e mantidas pelos fazendeiros da região até hoje [2]. A região tem uma das marés mais extremas do mundo, com média de 11,6 metros, mas esses povos antigos conseguiram se adaptar a isso e tornar a terra produtiva.


Joggins Fossil Cliffs

Data de inscrição: 2008, natural


Este sítio paleontológico está localizado na Baía de Fundy, na costa da Nova Escócia - Leste do Canadá. É o lar da mais complexa coleção de fósseis da era carbonífera de 300 anos do mundo. Joggins Fossil Cliffs é um sítio paleontológico de 689 hectares ao longo da costa da Nova Escócia, descrito como o "Carbon Galapagos" devido à sua riqueza em fósseis do período carbonífero (354 a 290 milhões de anos atrás).


Esta área tem sido necessária para pesquisadores há mais de cem anos, pois eles oferecem uma visão sobre a vida pré-histórica na Terra. A Baía de Fundy experimenta os níveis de maré mais altos (até 43 pés) de qualquer outra praia em todo o mundo, o que funciona para erodir as falésias e expor novos fósseis. Noventa e seis gêneros, 148 espécies de fósseis e mais de 20 grupos de pegadas já foram descobertos. O site está listado como contendo exemplos excepcionais que representam marcos significativos na história da Terra. Os visitantes deste local são conhecidos por encontrar fósseis espalhados ao longo da praia [3]. Devido a sua importância histórica, a área foi declarada Patrimônio Mundial da UNESCO em 2008.


Mistaken Point

Data de inscrição: 2016, natural


Mistaken Point é outra região de fósseis localizada na ponta sudeste da ilha de Newfoundland. O local recebeu esse nome pela dificuldade de navegação nas águas que o cercam. Os historiadores relatam que mais de cinquenta navios naufragaram nas falésias desta área.


Perto está o Myrick Wireless Interpretation Centre, localizado no histórico Cape Race Lighthouse, uma réplica da estação de rádio marítima original construída em 1904. Segundo conta a história, a estação Marconi foi a primeira estação terrestre a responder ao pedido de socorro do Titanic e ajudou a coordenar o esforço de resgate [4].


A região é um Patrimônio Mundial da UNESCO, reconhecida principalmente pela importância dos fósseis desta área para a compreensão da história da evolução da Terra. O local é um penhasco de 17 km de extensão com 580-560 milhões de anos. Os fósseis encontrados no local ilustram a divisão da história da vida na Terra: a chegada de grandes organismos biologicamente complexos após quase três bilhões de anos de evolução microbiana.


Historic District of Old Québec

Data de inscrição: 1985, cultural


As muralhas que cercam a cidade velha de Quebec são as únicas antigas muralhas fortificadas que permanecem na América do Norte. Eles foram declarados Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1985, com o nome de " Historic District of Old Québec". Dois critérios principais foram aplicados à cidade de Quebec. O primeiro é pelo seu património edificado devido à excelente preservação das edificações da cidade. Em segundo lugar, devido à sua história e cultura, seu patrimônio histórico foi reconhecido como o berço da civilização francesa na América do Norte, sendo responsável por um importante momento da colonização europeia das Américas: “foi a capital da Nova França e, a partir de 1760, da nova colônia britânica” [5].


A cidade fundada pelo explorador Champlain no início do século 17 está bem preservada, com casas, igrejas e monumentos intactos.


#Viagem #Canadá #UNESCO